Memórias da Ditadura

Ricardo Zarattini

Ricardo Zarattini Filho é engenheiro e ex-deputado federal. Iniciou sua militância política quando ainda era secundarista. Aos 16 anos, participou da campanha “O Petróleo é Nosso”, que resultou na criação da Petrobras. Foi também presidente da União Estadual dos Estudantes (UEE) de São Paulo.

Em 1964, no início da ditadura militar, Zarattini trabalhava como engenheiro no Nordeste e atuava na reorganização do movimento canavieiro. Em 1968, integrava o Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR). Preso três dias antes da decretação do Ato Institucional Nº 5 (AI-5), foi torturado e permaneceu no Quartel Dias Cardoso (PE), onde fez amizade com alguns soldados e passou a lecionar para eles.

Em 1969, conseguiu fugir com a ajuda dos soldados. Ficou escondido em Pernambuco por um mês, com o auxílio de Dom Hélder Câmara, e depois se dirigiu a São Paulo, onde foi preso pela Operação Bandeirante (Oban). Sofreu torturas por 14 dias seguidos. Sua libertação ocorreu no mesmo ano, junto com outros 14 companheiros, em troca do embaixador estadunidense Charles Burke Elbrick.

Zarattini seguiu para o México, depois para Cuba e Chile. Em 1974, voltou ao Brasil clandestinamente e, em maio de 1978, foi novamente preso e torturado. No ano seguinte, foi libertado em decorrência da anistia.

Na década de 1980, participou das lutas pelos direitos dos trabalhadores e atuou na Assembleia Nacional Constituinte como assessor. Militante do Partido dos Trabalhadores (PT), candidatou-se à Câmara dos Deputados em 2002, mas somente em 2004 passou a exercer o mandato de deputado federal.

Ricardo Zarattini foi inocentado, em 2013, da acusação de ser o responsável, ao lado de Ednaldo Miranda, pela explosão de uma bomba no saguão do Aeroporto dos Guararapes do Recife, ocorrida em 1966. A reparação foi possível graças a documentos dos órgãos de segurança, apresentados pela Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Hélder Câmara, que os livram da acusação.

Entrevista à TV Alesp sobre a presença de agentes estadunidenses em interrogatórios no Dops

Depoimento à Comissão Estadual da Verdade Rubens Paiva, na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Entrevista ao jornal “Companheiro”

Depoimento de Ricardo Zarattini para a novela “Amor e Revolução”, do SBT

Links

frases

  • “Eu tenho minha vida dedicada à luta contra o imperialismo norte-americano. Esse sempre foi o norte da minha política. Nunca tive paixão por esse ou aquele partido, essa ou aquela ou organização. O que sempre me guiou foi a luta contra o imperialismo norte-americano, que é, sem dúvida nenhuma, o inimigo número um dos povos de todo o mundo.”

    “Minha história de vida é uma história de vida de todos aqueles que lutaram naquele período. A maior marca deixada não é individual, é de toda uma série de companheiros retirados da vida política e que hoje seriam pessoas importantes para que o país atingisse seus objetivos.”

Biografias
da
resistência

Faça sua busca: