Autorretrato Probabilístico (1967), de Waldemar Cordeiro

A instalação consiste em três planos sucessivos de imagens que formam o rosto do artista. Ela disponibiliza um único ponto de vista a partir do qual a imagem de Cordeiro pode ser recomposta em sua completude. Qualquer outro resulta numa identidade esfacelada. É o próprio retrato autocrítico do artista, na alternância contínua entre integração e desintegração. Estabelece um jogo entre identidade e desidentificação, transparência e opacidade, ordem e desordem. Figura central da arte brasileira do século XX, Waldemar Cordeiro consegue como poucos transitar do campo da produção artística para o da reflexão teórica, tornando-se um dos principais articuladores do concretismo no país.

Links