Maria José Araújo

Maria José Araújo é enfermeira e parteira, com mais de mil partos realizados desde a juventude. Aprendeu o ofício em sua cidade natal, Anadia, interior de Alagoas. Casou-se aos 14 anos com João Araújo, em um casamento arranjado pela família, com quem teve cinco filhos. O mais velho, Luiz Almeida Araújo, militante da Ação Libertadora Nacional (ALN) foi assassinado pela ditadura militar em junho de 1971.

Quando o filho foi morto, Maria José já vivia em São Paulo, onde passou 34 anos. Com o fim de seu casamento, Maria mudou-se com dois dos filhos para a capital paulista em 1957, trabalhando como enfermeira em diversos hospitais, incluindo a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e de Santos, a Maternidade Maria Goretti em Santo André e outras maternidades na Lapa e em São Bernardo do Campo.

Sua busca incessante por Lula, como Luiz era conhecido na família, incluiu inúmeras visitas a todos os órgãos de repressão da ditadura militar em São Paulo, muitas vezes acompanhada de seu filho Manoel, que faleceu anos depois, vítima de uma briga. A luta é compartilhada também pela filha Amparo Araújo, que também militava na ALN a convite de Lula e foi a primeira a dar falta do irmão que não comparecera a um ponto que os dois haviam combinado. Elas nunca chegaram a saber do paradeiro de Luiz.

Maria José deu continuidade à sua vida, marcada por muitas tragédias. Antes de voltar a Alagoas, Maria José adotou Vinícius, que hoje vive próximo a ela. Apesar da dor, ela é uma mulher com uma energia que contagia. Recentemente estrelou um comercial de uma empresa de produtos odontológicos, no qual exibe seu enorme sorriso.

Biografias
da
resistência