Memórias da Ditadura

Therezinha Zerbini

Therezinha de Godoy Zerbini é assistente social, advogada e ativista de direitos humanos. Em 1951, conheceu o general Euryale de Jesus Zerbini, que comandava a Força Pública. Os dois se casaram, apesar da diferença de idade de vinte anos. Na época, ela trabalhava como assistente social no Hospital do Mandaqui.

Em 1964, o general comandava a unidade de Caçapava e foi um dos quatro oficiais a assumir posição contrária ao golpe militar. Teve seus direitos políticos cassados e foi reformado. Therezinha, envolvida com a política desde os tempos do getulismo, passou a atuar na resistência à ditadura.

Em 1968, ela ajudou Frei Tito a conseguir o sítio em Ibiúna onde seria realizado o Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE). Por esse motivo foi presa, no dia 11 de fevereiro de 1970. Primeiramente, foi levada à sede da Operação Bandeirante (Oban). Lá ficou por cinco dias e presenciou as torturas sofridas por Frei Tito. Therezinha não foi torturada. Ela foi transferida para o Dops, onde passou mais uma semana, até ser levada ao Presídio Tiradentes. Passou seis meses detida no local, onde ficou conhecida como “burguesona”, e foi enquadrada na Lei de Segurança Nacional.

Em 1975, fundou e liderou o Movimento Feminino pela Anistia (MFPA). Núcleos do movimento foram espalhados pelo país. Em 1978, foi ampliado com a criação do Comitê Brasileiro pela Anistia (CBA), no Rio de Janeiro. Formado por advogados de presos políticos e com apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o comitê pedia a anistia ampla, geral e irrestrita. A conquista ocorreu em 1979.

Therezinha Zerbini continuou no cenário político, atuando ao lado de Leonel Brizola no processo de refundação do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e depois na criação do Partido Democrático Trabalhista (PDT). Aos 86 anos, Therezinha Zerbini foi homenageada pela Prefeitura de São Paulo por sua luta contra a ditadura militar, em maio de 2014.

Entrevista ao Programa Provocações, da TV Cultura

Entrevista ao Bom Dia Trabalhador

Depoimento ao Programa Resistir é Preciso

Links

frases

  • “Criar a Comissão da Verdade é bom. Não espero coisas novas, porque já vi tudo por dentro. Mas é preciso dar a oportunidade para os outros sentirem e verem. Como diz Santo Agostinho, o coração é a sede da memória.”

  • “Therezinha Zerbini merece ser lembrada pelo papel que desempenhou na resistência civil ao golpe. (...) É bom saber que, em plena ditadura, uma senhora de traços ainda belos, dois filhos para cuidar, assumiu seu lugar em nossa história e foi capaz até de vender uma joia de família para pagar as despesas de uma viagem internacional onde defendeu a anistia aos presos políticos brasileiros”, Paulo Moreira Leite.

Biografias
da
resistência

Faça sua busca: