No habrá más penas ni olvido

O título do longa, baseado no segundo romance do escritor e jornalista Osvaldo Soriano, vem do famoso tango de Carlos Gardel e Alfredo Le Pera, “Mi Buenos Aires querido“:

“Mi Buenos Aires querido/cuando yo te vuelva a ver/no habrá más penas ni olvido”.

Levada ao cinema por Héctor Olivera no ano de 1983, relata a luta travada na fictícia localidade de Colônia Vela entre peronistas de esquerda e de direita, com imprevistas e trágicas consequências para todos. É uma reflexão sobre este movimento político durante os anos de chumbo na Argentina.

Skip to content