Plínio Marcos

Plínio Marcos (Plínio Marcos de Barros, Santos, 1935 – São Paulo, 1969). Plínio Marcos foi autor de peças de teatro de linguagem crua que enfocavam o universo da marginalidade. Inspirado numa história real, sua primeira peça, Barrela (1959), que ele mesmo dirigiu, se centrava no estupro de um jovem em uma cela de prisão. Ele é autor de Dois Perdidos Numa Noite Suja (1966), encenada pelo Teatro de Arena, vista como uma metáfora dos mecanismos de poder entre as classes sociais brasileiras, e de Navalha na Carne (1968), inicialmente proibida pela censura e depois encenada no Rio de Janeiro, sob a direção de Fauzi Arap. Apesar da censura, ele escreveu para jornais como Última Hora, Folha de S. Paulo e Folha da Tarde.